O lúdico design de lojas para crianças

Tempo médio de leitura: 4:00 min

Antes de iniciar um projeto comercial de loja infantil, é sempre importante definir qual público sua loja pretende atender. A segmentação do público, vai influenciar não apenas nos produtos, mas em todo o design e arquitetura do espaço. Por isso, trazemos aqui algumas dicas essenciais para desenvolver um bom projeto de loja infantil, de acordo com o segmento escolhido.

Quer saber quais os detalhes importantes na hora de planejar uma loja infantil? Então rola para baixo para ler o artigo completo!

Bebês (0 - 2 anos)

Neste espaço, seu foco são os pais, pois são eles os responsáveis pelas decisões de compra. É importante criar espaços funcionais e confortáveis, que garantam uma boa experiência de compra. Prever circulações largas, para a passagem de carrinhos é um dos pontos a serem pensados. Além disso, o uso de cores pastéis e algumas distrações visuais para os pequenos são interessantes para tornar a experiência de compra tranquila e mantê-los distraídos. Como os bebês ficam boa parte do tempo deitados, seu olhar está voltado para o teto. Assim, no design de lojas comerciais com produtos para bebês, elementos como nuvens, luminárias coloridas, ou recursos como “céu estrelado”, vão distrair os pequenos durante o passeio.

Hi Mom- Dettagli Home Decor 

Loja Joana João – Kube Arquietura

Loja Joana João – Kube Arquietura

Infantil (3 - 8 anos)

A partir dos três anos, as crianças já começam a ter influência na decisão de compra dos pais. Alguns estudos apontam que esta influência cresce cada vez mais, em relação às gerações passadas, e uma pesquisa realizada pela TNS/InterScience em 2003, confirma que as crianças brasileiras influenciam 80% das decisões de compra de uma família. Por isso, devemos pensar não só na experiência dos pais, mas também das crianças. 

Em uma loja infantil, a exposição dos produtos deve ser feita em vários níveis, para atrair olhares de diferentes alturas. Itens decorativos, como mascotes e brinquedos podem ser utilizados com cuidado, para não tirar a atenção dos produtos, que devem ser os protagonistas do espaço. Os provadores devem ser espaçosos, permitindo que duas pessoas ocupem-no simultaneamente, afinal, geralmente vai ser ocupado pelo pai ou mãe e seu filho.

Um ambiente com cores vibrantes é mais assertivo para chamar atenção dos pequenos. Além disso, para setores de roupas e calçados, deve-se pensar em estratégias para tornar experiência de compra mais atrativa para as crianças. Afinal, crianças geralmente não gostam de perder seu precioso tempo de brincar para ir às compras. Elementos que façam da compra uma brincadeira serão muito bem vindos, como passarelas, penteadeiras e cenários criativos. 

Em ambientes criados para esta faixa etária, segurança é fundamental. É importante evitar vidros e materiais frágeis, preferindo opções resistentes. Os móveis devem possuir acabamentos arredondados, evitando que descuidos não se tornem acidentes, e os pais possam ficar tranquilos enquanto estão sendo atendidos. Um projeto arquitetônico comercial para o público infantil deve até mesmo prever tomadas protegidas.

Loja de balas Fini – D2C Arquitetura

Piccini Boutique – The Cool Hunter

Loja MP Brinquedos – Studio Jacarandá

Infanto Juvenil (9 - 12 anos)

Para este público, pode-se apostar em cores mais escuras e em tecnologia. Espaços temáticos com referência em filmes e games são interessantes. Vale lembrar que nesta idade, a opinião dos amigos influencia bastante na decisão de compra. Assim, a criação de um espaço dinâmico pode causar aquele marketing gratuito que tanto gostamos: o boca a boca.

World Kids Book Store –  Red Box ID

Loja House Games – FAL Arquitetura

Se você vai criar uma loja ou precisa reformular seu espaço, não exite em contratar um arquiteto. A Bruna Gelbcke Arquitetura trabalha em projetos comerciais, com foco na experiência do cliente e em resultados para sua empresa.